teste Roleplay no Twitter – LIDIA (Biblioteca de Atividades Online)

Roleplay no Twitter

Descrição Breve

Esta atividade de História foi desenvolvida especialmente para ajudar os alunos a compreender os sentimentos, preocupações e experiências de pessoas que viveram no passado. Usamos o Twitter na sala de aula porque é já uma ferramenta familiar dos alunos e uma forma divertida e flexível de partilhar informação.

Justificação

Quando não têm de partilhar ideias face a face, os alunos estão muitas vezes mais dispostos a envolver-se numa atividade (o uso de pseudónimos é muito útil neste caso). A contribuição e o envolvimento de todos garante que as mensagens se tornem cada vez mais reflexivas e mais elaboradas, fugindo a contribuições mais óbvias. A novidade da utilização de telemóveis e mesmo do Twitter nas aulas também aumenta o envolvimento dos alunos e o seu entusiasmo.

Aprender o quê?

  • Conhecer e compreender os acontecimentos passados.
  • Explorar vivências e sentimentos de pessoas que viveram no passado.
  • Refletir sobre um determinado contexto histórico e conhecer as suas figuras mais influentes.

O Twitter é uma ferramenta online, que funciona como rede social. Permite aos utilizadores criarem e partilharem publicações em diferentes formatos: texto (máximo 140 carateres), imagem, vídeo, endereço web, entre outros. Permite comunicar e interagir com outras pessoas, bastando apenas seguir as pessoas ou perfis institucionais sobre os quais quer acompanhar as publicações que realizam. Esses não têm de o seguir para poder visualizar as suas publicações. Encontra-se disponível em https://twitter.com/.

Descrição da atividade

Comece pela escolha de um contexto histórico específico com os alunos. Como exemplo, sugerimos a Revolução dos Cravos. Leve os alunos a investigar este acontecimento. Pesquisem imagens e factos ocorridos durante o mesmo. Peça aos alunos para escolherem um nome (nickname) para usarem no Twitter. Permita que decidam qual a sua personagem, como por exemplo, um soldado, um político da época, um general, o comandante Salgueiro Maia, etc.. Configure contas no Twitter para cada criança, usando o nome escolhido.

Crie uma #hashtag para esta atividade. Não faça a hashtag muito grande porque ela conta para o número de caracteres que são permitidos, mas escolha uma que permita a identificação por outras pessoas que possam estar interessadas em aderir ao tema.

Defina a cena de forma a torná-la desafiante: “Corria o ano de 1974. Soldados da Escola Prática de Cavalaria ocupam o Terreiro do Paço” (efeitos sonoros podem ser usados também). Lembre às crianças o nome e papel que escolheram. Diga-lhes que devem assumir o papel da personagem escolhida para, em conjunto, comporem a história. Peça que escrevam no Twitter como se estão a sentir, como acham que era a vida dos soldados, o significado de “ditadura” e de “liberdade”, como era viver em ditadura, o que mudou depois da revolução, etc.

Permita que os alunos escrevam e enviem pensamentos, comentários e experiências e faça a gestão do tempo de forma a que todos os colegas respondam. Discuta as mensagens e elabore perguntas a colocar às diferentes personagens, como por exemplo: “Por que achas que no tempo da ditadura as pessoas sentiam medo, João?”. Para isso, o professor deve também interpretar uma personagem. Por exemplo, a de um jornalista.

Para terminar esta atividade, os alunos podem escrever mensagens diárias durante uma semana, criar uma apresentação sobre a Revolução dos Cravos, ou criar obras de arte com base nas suas “experiências”.

Sequência

  1. Investigar um acontecimento histórico escolhido.
  2. Escolher a personagem a interpretar e o respetivo nickname para usar no Twitter.
  3. Criar contas no Twitter e uma hashtag para a atividade.
  4. Contextualizar a cena.
  5. Assumir o papel da personagem escolhida, escrevendo questões, comentários e pensamentos no Twitter.
  6. Escrever mensagens diárias durante uma semana, ou criar uma apresentação, ou criar obras de arte com base nas “experiências”.

Sugestões & Dicas

Se houver problemas com o uso de telemóveis na escola, sugira à direção a mudança de política da escola ou opte por utilizar computadores ou tablets.

Explique às crianças o que significa uma #hashtag e diga também que eles podem enviar os seus tweets para uma pessoa em particular usando o símbolo @ na frente do nome twitter dessa mesma pessoa.

Pode optar por realizar a atividade com outros cenários. As crianças escolhem ser geólogos, cientistas, meteorologistas, cozinheiros, tratadores de cães, navegadores, etc. Use uma combinação do Twitter e Google Earth como uma atividade de orientação ou uma introdução às instruções de como usar o Google Earth.

Pode aproveitar e perguntar à sua rede de contactos no Twitter por “desafios globais”, GeoTweeters. Desafios do tipo “Onde estou?”. Ou seja, eles dão uma pista para que as crianças identifiquem onde estão, como por exemplo: “Está a nevar fortemente aqui”; “É meio-dia e o dia está muito escuro”. Deixe as crianças twittarem uma ou mais perguntas de resposta para obterem mais informações. Os alunos podem também tirar uma foto e enviar-lhes.

Use a sua rede de contactos no Twitter e deixe que as crianças componham um tweet parecido com #EscolaXXX – “Qual foi a palavra que mais te deu problemas de ortografia quando estavas na escola?” ou #TurmaX – “Em que palavra ainda encontras dificuldades na escrita. Deixe que as crianças façam uma lista com as respostas. Se tiver respostas suficientes é possível fazer um gráfico de barras para representar os resultados. Peça então às crianças para escolherem 5 (ou mais) dessas palavras e trabalharem os seus significados. As crianças podem twittar o resultado à pessoa que escreveu o twitter original.

Segurança & Identidade Digital

É possível apagar todas as contas quando a atividade terminar. Ainda assim, será melhor solicitar a permissão dos pais para que os alunos possam criar as suas contas. Sugere-se a criação de contas pelo professor, pois dessa forma é mais fácil supervisionar a atividade.


logo LIDIA

Projeto LIDIA – Literacia Digital de Adultos
Instituto de Educação, Universidade de Lisboa, 2016
Sítio do projeto: lidia.ie.ulisboa.pt

Atividade originalmente elaborada no âmbito do projeto TACCLE2 em 2013
Atividade adaptada por Mariana Tempera e revista por Catarina Gonçalves para a Biblioteca de Atividades Online do Projeto LIDIA.

CC88x31

Esta atividade pode ser usada, copiada, reproduzida, modificada, publicada e transmitida em todos os tipos de media ou métodos de distribuição já disponíveis ou que venham a ser desenvolvidos, bastando para isso fazer referência aos autores e ao Projeto TACCLE2 e à Biblioteca de Atividades Online do Projeto LIDIA.